terça-feira, 13 de julho de 2010

Para os meus queridos Amarelinhos


(Aguarela de António Cruz)

O Sonho



Pelo sonho vamos,

Comovidos e mudos,

Chegamos? Não chegamos?

Haja ou não haja frutos,

Pelo sonho é que vamos.



Basta a fé no que temos,

Basta a esperança naquilo

Que talvez não teremos.

Basta que a alma demos,

Com a mesma alegria,

Ao que desconhecemos

E do que é do dia-a-dia.



Chegamos? Não chegamos?



Partimos. Vamos. Somos.





SEBASTIÃO DA GAMA